Seu navegador não suporta Javascript.

Notícia Destaque: Uma Adiministração para jamais esquecer

05/03/2015 - 21h33min
ampliar Uma Adiministração para jamais esquecer Uma Adiministração para jamais esquecer

Na campanha eleitoral para a Prefeitura em 2012, Walter Alencar não se cansava de repetir, dentre outras citações: “Minha administração entrará para a história de ...
Leia a matéria completa



Mulheres e suas habilidade

27/01/2014 - 15h01min
ampliar Mulheres e suas habilidade Mulheres e suas habilidade

Finalmente consegui a autorização de meu plano de saúde, ao qual contribuo (e muito) há dez anos, para realização de minha cirurgia cardíaca. Os planos de saúde são muito bons para cobrar, mas péssimos quando tem que desembolsar. Protelam uma semana uma autorização urgente que deveria ser dada imediatamente. Em contrapartida, experimente atrasar um dia sequer no pagamento da mensalidade.

Devo ficar vinte dias internado. Hospital é um saco. Não é somente a comida que é ruim, é tudo. O cheiro, o ambiente, a luz fria, o choramingar, aquele soro pingando eternamente, que você fica torcendo para acabar, mas, antes que isto aconteça, vem uma prestativa enfermeira, coloca outro tubinho e tudo recomeça. Da última vez que fiquei internado na UTI, após 5 dias eu era o único sobrevivente da população original. Trágico. Mas, segundo Murphy, nada é tão ruim que não possa ser piorado.

Minha ex-mulher, cuja única ocupação nos últimos oito anos é ser ex-mulher, resolveu cobrar uma suposta dívida da pensão alimentícia que ela recebe automaticamente todos os meses. Por vezes, ela recebe sua pensão antes de eu receber o que sobrou de meu salário. Recebe uma porcentagem dos dias trabalhados, do descanso remunerado, do 13º, das horas extras, do auxílio alimentação, do adicional de aperfeiçoamento e até das férias. Traduzindo: recebe sem trabalhar, para descansar, para comemorar o Natal, para alimentar-se, aperfeiçoa-se e depois ainda tira férias, tudo isso sem mover um dedo. Já decidi: na próxima encarnação vou nascer ex-mulher.

Todo ano tenho que contratar um advogado para defender-me das ações revisionais, enquanto a belezinha utiliza-se da gratuidade da Defensoria Pública. Isso já tem 6 anos. Se no primeiro ano, ao invés do advogado, eu tivesse contratado um pistoleiro, pela metade do preço do advogado já teria resolvido o problema. Com o que economizaria, compraria um carro novo. Aliás, foi o que ela fez com o dinheiro que recebe mensalmente sem trabalhar.

O juiz deu-me três dias para pagar uma dívida impagável, sob pena de prisão. Agora, só saio de casa com duas sacolinhas, repletas de roupas e objetos pessoais. Uma com a etiqueta “hospital” e a outra com “cadeia”. Mas resta ainda a opção de um acordo amigável. Vou propor-lhe que eu fique com a pensão e ela com o que sobra de meu salário. Vou sair no lucro.

Mas raiva mesmo faz algumas empresas prestadoras de serviço em nossa cidade. No mês passado, a leiturista da companhia elétrica errou na leitura e veio uma conta de luz maior que a da padaria do bairro. Depois de dez dias reclamando e de ter anotado mais de 50 números enormes correspondentes ao “protocolo de atendimento” que nunca me serviu para nada, mandaram um fiscal lá em casa para verificar o medidor. Constatou o erro e mandaram-me uma segunda conta, esta com um valor razoável. Mas lá estava: taxa de serviço – R$ 12,00”. Telefonei novamente para a companhia, anotei mais um número de protocolo, e fui informado que a taxa referia-se a visita do fiscal que constatou o erro de leitura. Ou seja: a leiturista caolha erra na leitura, gasto um tempão para reclamar do erro, fico dias esperando o fiscal e ainda pago por um erro que não foi meu.

Hoje fui parado numa blitz do Detran. Havia mais de 10 anos que isto não acontecia. Solicitamente, entreguei ao policial os documentos do carro e, orgulhosamente, minha carteira de motorista, com mais de trinta anos de habilitação.

_ Sua carteira venceu! – prontamente informou-me o cortês agente da Lei.

_ Que ótimo! – exclamei – e o que ela ganhou?

É deprimente a falta de humor de algumas pessoas. O policial ameaçou-me de prisão por desacato. Pensei em dar-lhe uma cópia de minha última crônica, mas julguei que iria piorar a situação. Pois agora o veículo somente sairia dali conduzido por uma pessoa habilitada, ou seria recolhido, “aos costumes”.

Prontamente liguei para Elza, minha esposa em exercício, já que se o tema é habilidade estamos falando com a pessoa certa. Muito embora ela por três vezes tenha sido reprovada no exame de condutores, sendo que na última vez o examinador, que por ela foi atropelado durante a prova de baliza, garantiu que ela nunca nesta vida receberia uma carteira de motorista. Seu último instrutor está em tratamento psicológico e o penúltimo hoje é carpinteiro.

Pois bem. Elza chegou rapidamente ao local onde eu e o carro estávamos detidos, sorriu para todos, assumiu o volante e fomos embora, não sem antes derrubar dois cones da barreira fiscalizadora. Ninguém pediu um documento para ela. Nem ela para ninguém.

* Arthur Teixeira Junior é funcionário público





TV NEWS - VÍDEOS


   

Ver todos os vídeos

Moradores reclamam da péssima qualidade dos telefones fixos da cidade

21/01/2014 - 20h55min
ampliar Moradores reclamam da péssima qualidade dos telefones fixos da cidade Moradores reclamam da péssima qualidade dos telefones fixos da cidade

Pois é, segundo informações o serviço de telefonia fixo da cidade da empresa OI de Agricolândia não funciona quando a cidade recebe chuva, que são comuns neste período do ano, os moradores ficam impossibilitados de receberem e efetuarem chamadas quando chove na cidade. 


O aparelho de telefone é um objeto de bastante utilidade e se o cidadão paga tem por direito usufruir de seu bem, coisa que Agricolandia não funciona.


Por Mauricio Alves


 





O poder e o pobre

20/01/2014 - 10h32min
ampliar O poder e o pobre O poder e o pobre

Um antigo ditado popular diz que “atrás de um pobre sempre corre um bicho”.


Como todo o ditado popular, este também tem uma verdade escondida, como nas parábolas bíblicas. Sempre tem um espertalhão querendo intimidar ou tirar proveito dos mais fracos, nesse caso os pobres.


Outro ditado popular diz “quem nunca comeu melado, quando come se lambuza” e outro “quer conhecer o verdadeiro caráter de um homem? Dê-lhe poder.”


O ex-vereador Manoel Roseno, hoje exercendo o cargo na Prefeitura de “Coordenador da Defesa Civil”, que tem toda a pinta de ser um cargo figurativo, também é um dos réus em dois processos, um criminal (calúnia e difamação) e outro civil (danos morais), que a vereadora Edith Alencar move contra o ex-vereador e alguns de seus cúmplices.


O ex-vereador Manoel Roseno se acha no direito de ameaçar e chantagear um cidadão agricolandense (só porque é pobre), e o que é pior, usando o nome do prefeito Walter Alencar. Segundo informações, ameaça covardemente o eleitor, citando o emprego no qual sua esposa trabalha em tom ameaçador, tudo isso porque esse cidadão vai ser testemunha da vereadora Edith Alencar no processo contra os seis ex-vereadores.


Lembramos que a vereadora Edith tem outra testemunha, que não é tão pobre assim e com elevada instrução, além de também exercer um cargo público. Porque Manoel Roseno não vai lá ameaçá-lo também?


O site tentou entrar em contato com o prefeito Walter Alencar, mas não conseguiu falar com o mesmo. Conhecendo a integridade e personalidade do prefeito, acreditamos que o prefeito não autorizaria ninguém a falar em seu nome particularmente para atitudes mesquinhas e baixas, principalmente contra seus eleitores.


O site agricolandianews.com fica a disposição para um direito de resposta, assim como abre o espaço ao prefeito Walter Alencar para esclarecimentos, principalmente para tranqüilizar a população, não só em relação a este fato, mas também em relação a outros fatos de ameaças e humilhações promovidas por alguns de seus secretários e assessores contra seus eleitores.


 





O encrenqueiro

20/01/2014 - 10h15min
ampliar O encrenqueiro O encrenqueiro

Costumam chamar-me de “encrenqueiro”. Minhas filhas não me acompanham mais ao supermercado. Mas acho este “rótulo” uma tremenda injustiça, pois, exigir um serviço público com qualidade e requerer das pessoas um comportamento solidário em ambientes coletivos não é ser encrenqueiro, é ser cidadão.

Algumas pessoas assumem um cargo público e acham que foram aprovadas em um concurso para semideus. A primeira coisa que o servidor incompetente faz é afixar um cartaz no guichê de atendimento alertando que “desacatar servidor público é crime, passível de prisão”. Quando você deparar-se com uma placa desta, tenha certeza: ali trabalha um incompetente. Quem deveria ser preso eraele. O servidor público tem obrigação de atender bem quem paga seus salários, que somos nós, salários estes geralmente maiores que a média de outras categorias de trabalhadores. E eu reclamo mesmo, quem tiver cacife que mande prender-me. Ou, se souber escrever, que faça uma representação contra o reclamante.

Acordo pelas manhãs de sábado e domingo, obrigatoriamente, no mesmo horário que os dois cachorros de meu vizinho, criados como bebês no interior de uma casa de 50 m2, com mais três humanos. Este mesmo vizinho diz que cria gatos. Não é verdade. Quem cria os cerca de vinte gatos que ele diz serem dele, somos nós, os vizinhos. Afinal, eles passeiam, brigam e namoram sobre nossos telhados, geralmente à noite. Defecam e urinam em nossos quintais e comem os restos do lixo que estava arrumadinho nos sacos defronte nossas casas, nos obrigando a sempre refazermos as embalagens.

Fiz as contas: se cada um dos vinte gatos que ele diz criar produzir 100 g de dejetos por dia, totaliza 2 kg por dia, ou sessenta quilos por mês. Ao final do ano serão 720 kg de merda de gato despejados em nossos quintais. Organizei meus vizinhos vítimas para irem juntando tudo o que recolhem em caixas. No próximo Natal daremos um grande presente a este vizinho “criador” de gatos...

Mas o cúmulo da anticidadania é visto nos supermercados de nossa cidade. Começa pelo estacionamento. Projetado para 40 vagas, só abriga 20 veículos, pois a maioria dos carros estaciona ocupando duas ou mais vagas.

Você aguarda pacientemente sua vez na fila dos frios ou do açougue, enquanto alguns clientes avançam pela lateral, crendo que a má educação faz parte da extensa lista de atendimento prioritário. Na zona leste de Teresina existe um supermercado que tem fila para furar a fila do açougue e um atendente exclusivo para os furões. A institucionalização da esculhambação. Quem já foi lá sabe de onde estou falando.

Para pagar suas pequenas compras, você dirige-se ao caixa rápido. Na sua frente uma senhora com um único pacotinho de açúcar nas mãos. Vai ser rápido, pensa. Quando chega a vez dela, ela vira para a fila do caixa ao lado e berra:

-Vem, Gertrudes. Aqui já chegou na vez.

E lá vem a Gertrudes, com um carrinho cheio de compras e toma a sua frente.

Experimente tentar reclamar com elas, mesmo argumentando que ali é um caixa rápido para no máximo dez volumes. Elas começaram a falar alto, a simular falta de ar, a ameaçar desmaios, a chamar seu filho que é policial, a argumentar que é diabética, cardíaca, sofre dos “nelvos”, e em breve todo o supermercado estará contra você. É melhor deixar para lá e ter paciência.

Apesar daquele caixa não ter empacotador, as duas ficam paradas, uma olhando para o operador e a outra para o monitor do caixa, ambas sem enxergar nada. As compras, rapidamente passadas pelo leitor ótico, acumulam-se do outro lado do balcão. Gertrudes sabe que ao final terá que pagar a conta, mas somente inicia a busca ao dinheiro segundos depois do término de toda a operação. De sua enorme bolsa, após uma alucinante garimpagem, retira uma bolsa vermelha menor. De dentro desta, sai um saquinho plástico todo enrolado, cheio de papéis velhos e com uma pequena bolsinha tipo portamoedas. Dentro desta bolsinha, bem socadinho e totalmente amassado, está o dinheiro. Parece couro de rato.

Após o operador do caixa desamassar pacientemente um monte de cédulas de pequeno valor, contá-las, cai na besteira de perguntar “a senhora tem dez centavos?”. Antes que ela comece a vasculhar novamente aquela enorme e ridícula bolsa, adianto-me e dou os dez centavos ao caixa, com um sorriso condescendente amarelado.

Gertrudes começa então a embalar suas compras, após receber o troco. Um produto em cada saquinho. E eu pacientemente esperando para começar a passar minhas compras. Depois de alguns minutos e de várias desistências na fila atrás de mim, preparo-me para ser atendido. Mas, de repente, Gertrudes volta-se para o operador:

-Tem crédito da TIM?

E depois eu que sou encrenqueiro...

Arthur Teixeira Junior -





Sábado de Aleluia tem Forró Sacode em Agricolândia

20/01/2014 - 02h31min
ampliar Sábado de Aleluia tem Forró Sacode em Agricolândia Sábado de Aleluia tem Forró Sacode em Agricolândia

Isso mesmo, Sábado de Aleluia em Agricolândia será animada por uma das bandas de forró mais consagradas do Brasil " Forro Sacode " que se apresentará no CSA Clube , uma organização de Nathan e Tatá Produções e Eventos .


 


Aguardem mais informações ...


 


 Por Mauricio Alves

Presidente da AMPAR aponta Consórcios como alternativa para desenvolvimento

17/01/2014 - 14h46min
ampliar Presidente da AMPAR aponta Consórcios como alternativa para desenvolvimento Presidente da AMPAR aponta Consórcios como alternativa para desenvolvimento

Ontem em reunião no auditório da FIEPI o Presidente da AMPAR Walter Alencar conseguiu reunir diversas lideranças políticas O evento reuniu prefeitos e outros representantes do poder público do Piauí, Maranhão e outros estados, como por exemplo  o Prefeito de Balsas localizado a 581 km de Teresina, tudo isso para discutir sobre o Consorcio Intermunicipais, o evento contou com palestrantes da área e de convidados. 


Após a apresentação do humorista piauiense Dirceu Andrade, o presidente da Ampar e prefeito de Agricolândia, Walter Alencar, recepcionaram os presentes ressaltando a necessidade de alternativas de desenvolvimento para os pequenos municípios. 


"Principalmente para nós pequenos municípios, há uma grande necessidade de unir esforços para resolver os problemas que temos em comum. Na Ampar são 27 municípios e pretendemos migrá-los para um ou dois consórcios", relata.


Em entrevista a TV Antena 10 filiada a Rede  Record o Presidente da AMPAR destacou a importância  de unir os prefeitos para colocarem em pauta a discussão sobre o Consorcio Intermunicipal pois é um despertar para os colegas prefeitos, visto que essa é uma modalidade que o Governo Federal está repassando recursos para os municípios é via consórcio, finaliza o Presidente .


 


Por Mauricio Alves 

Prefeito Walter Alencar participa de almoço com Marcelo Castro e Wellington Dias

17/01/2014 - 14h34min
ampliar Prefeito Walter Alencar participa de almoço com Marcelo Castro e Wellington Dias Prefeito Walter Alencar participa de almoço com Marcelo Castro e Wellington Dias

O Prefeito de Agricolândia Walter Alencar (PSD)  em entrevista ao site agricolandianews.com relatou que participou ontem (16/01) de um almoço oferecido pelos pré-candidatos ao governado do Piauí  o  Deputado Marcelo Castro do PMDB e o Senador Wellington Dias do PT, e outras autoridades políticas do estado.


De acordo com o Prefeito Walter Alencar, que também é Presidente da AMPAR este foi um encontro com os amigos, onde pôde demonstrar a força e liderança política que tem no Piauí. “Este evento foi muito importante para demonstrar a união e a motivação dos nossos partidos”, disse o Prefeito Walter Alencar.


Enquanto seu posicionamento em relação ao apoio ao futuro candidato ao Governo do Estado o  Prefeito diz que irá se reunir com toda a sua bancada partidária e coligações do município para chegar a um acordo e definição sobre o apoio nestas eleições de 2014.




Por Mauricio Alves 

João de Deus, ex-prefeito de Agricolândia é nomeado para assumir o DER

17/01/2014 - 14h17min
ampliar João de Deus, ex-prefeito de Agricolândia é nomeado para assumir o DER João de Deus, ex-prefeito de Agricolândia é nomeado para assumir o DER

O ex-prefeito João de Deus que foi nomeado para o cargo de departamentos de estradas e recursos hídricos do município, com isso o mesmo estará a frente coordenando para levar os problemas das estradas vicinais do município bem como também problemas relacionados à água, poços dentre outros fatores que envolvem a sua função.  


 


Por Mauricio Alves

Fatinha saiu do CRAS e voltou para equipe da saúde do município

17/01/2014 - 12h15min
ampliar  Fatinha saiu do CRAS e voltou para equipe da saúde do município  Fatinha saiu do CRAS e voltou para equipe da saúde do município

Fatinha Lima agora é Operadora de Sistema da Secretaria de Saúde da cidade de Agricolândia, a mesma falou com a equipe do site e disse que voltou a exercer a sua função de fato.


Fatinha Lima já era Operadora de Sistema na parte da saúde na administração do ex-prefeito João de Deus, e em 2013 já na nova administração do atual Prefeito Walter Alencar foi transferida para o Centro de Referência e Assistência Social, e agora em 2014 voltou novamente para a saúde da cidade.


O prefeito Walter Alencar em conversa com o site odiz está defendendo os interesses de toda a cidade, e está cobrando trabalho dos servidores municipais, principalmente no órgão onde se recebe reclamações, e final do ano o mesmo irá fazer uma avaliação de desempenho de todas as pessoas que estão em função de coordenação e cargos de confianças ou seja aqueles que estiverem com produtividade comprovada e satisfatória ficarão nos cargos. Quem não estiver correspondendo àquilo que é uma cobrança da população, que é o bom atendimento e resolutividade, poderá tranquilamente ser substituído.


Por Mauricio Alves 

Depois das mudanças Mayara Sousa é a nova Gestora do CRAS de Agricolândia

16/01/2014 - 14h54min
ampliar Depois das mudanças Mayara Sousa é a nova Gestora do CRAS de Agricolândia Depois das mudanças Mayara Sousa é a nova Gestora do CRAS de Agricolândia

Com o objetivo de melhorias na administração do município, o prefeito Walter Alencar fez algumas mudanças nos quadros administrativos diretos com a prefeitura, isso é notório em algumas ocasiões, e desta vez entrou o CRAS (Centro de Referencia e Assistência Social) que está com uma nova Gestora, trata-se de Mayara Sousa, filha do atual Secretário de Administração Marcos Sousa, a mesma está empenhada nas realizações dos trabalhos de cadastro único, e todas as informações referidas à Bolsa Família, programa do Governo Federal.  Antes quem ocupava este cargo era a Fatinha Lima, que segundo informações agora está empenhada nas funções da Secretaria de Saúde. 


Mayara Sousa falou com o site Agricolandianews.com e relatou que está  a disposição de todos da população, e que qualquer duvida ou informação referente aos programas relacionados ao Centro de Referencia,  procurar a mesma apartir da próxima segunda-feira dia 20/01 na sede do CRAS.


 


Por Mauricio Alves 

CRAS de Agricolândia volta com suas atividades apartir da próxima segunda-feira

16/01/2014 - 12h35min
ampliar CRAS  de Agricolândia volta com suas atividades apartir da próxima segunda-feira CRAS de Agricolândia volta com suas atividades apartir da próxima segunda-feira

Depois do recesso do final de ano, o Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) voltará com suas atividades diárias, toda a equipe já está disposta a encarar mais um ano de muitos trabalhos e realizações de ações sociais aos moradores da cidade.


O horário de atendimento é apartir das 07:00 da manhã, com cadastros do Bolsa Familia , renovação, atualização de cadastros, cadastro unicos e mais .


Por Mauricio Alves

CARRO ROUBADO

15/01/2014 - 12h07min
ampliar CARRO ROUBADO CARRO ROUBADO

UNO VIVACE 2011/2012 COR PRATA PLACA DE TERESINA OEH 2799


QUALQUER INFORMAÇÕES QUE LEVE A LOCALIZAR O CARRO SERÁ BEM GRATIFICADO.


TELEFONE PRA CONTATO - (86) 9960 2631  (86) 9983 6479

Raimundo lima já se recupera em casa

14/01/2014 - 13h18min
ampliar Raimundo lima já se recupera em casa Raimundo lima já se recupera em casa
Raimundo Lima, da TV Clube, fala do apoio após acidente e diz:'Sobrevivi'

O jornalista Raimundo Lima postou em seu Facebook imagens dele ainda no hospital, em recuperação após o acidente de moto sofrido no dia 31 de dezembro do ano passado. Ele foi colhido por um veículo na avenida João XXIII, zona Leste de Teresina. Raimundo Lima, que atualmente trabalha pela TV Clube, fraturou todas as costelas do lado direito do corpo. agora em casa, ele agradece o apoio dos amigos e desabafa: "Sobrevivi".

"Depois de 13 dias internado em um hospital estou de volta a minha casa, gente. Ainda carrego um corpo fraturado e dolorido mas estou estou vivo. Fui vitima de um acidente grave mas o Criador me deu mais uma chance", comenta em um post feito nesta manhã de segunda-feira (14/01).

Durante o período em que esteve internado, o jornalista precisou ser sedado para ajudar na recuperação, pois havia suspeita de que ao fraturarem, as costelas podem ter perfurado algum órgão. Chegou até mesmo a ser divulgado que Raimundo Lima teria morrido após o acidente, informação que foi negada à época.

"Nunca esquecerei essa experiencia dolorosa e aprendi muito com isso. Descobri que tinha mais amigos do que imaginava. Por isso estou aqui para agradecer as todos vocês pela força e torcida para que eu me recuperasse. Muito obrigado mesmo. Vou ficar de molho um tempo mas um dia eu volto. Feliz 2014 a todos vcs. E tenham cuidado com o trânsito. Não arrisquem passar pelo que eu passei", desabafa.



Fonte:180graus.com



"Raimundo lima é casado com Eliete Silva, agricolandenses e desejamos uma boa recuperação" Site agricolandianews.com

A primeira vez ninguém esquece

14/01/2014 - 12h28min
ampliar A primeira vez ninguém esquece A primeira vez ninguém esquece
Este é um velho bordão, remonta dos tempos de minha avó. Já foi inclusive explorado pela publicidade. Os mais velhos certamente lembram-se da propaganda da “Valisère” com a jovem adolescente encabulada, que hoje deve estar mais velha do que eu.

Lembro-me da primeira namorada, ainda nos bancos da “Nossa Escolinha”, em São Paulo. Meu primeiro beijo... na irmã da Doralice. Meu primeiro porre, que creio ter sido aquele com conhaque Dreher ainda no colegial. Lembro-me de outras primeiras vezes, mas ficaria enfadonho, já que para tudo na vida existe uma primeira vez.

O mais trágico certamente foi o primeiro chifre, previsto pela Madalena e promovido pela Jéssyca em parceria com o garçom que tínhamos em nosso restaurante. Trocado por um garçom. Tá certo que era 35 anos mais jovem, mas não justifica. Enquanto ela traia-me com o garçom, sua melhor amiga Marina traía seu correspondente marido com o verdureiro da cidade. Saiam juntas para “caminhar” e descaminhavam enquanto os maridos trabalhavam. Coisas da vida.

O homem que diz nunca ter sido traído é desinformado ou tem pouca memória. Não importa se foi em um namoro na escola, em um noivado já no final da faculdade, na véspera do casamento ou na vigência deste. Chifre é chifre e ponto final. Não é somente uma coisa que lhe colocam na cabeça, é algo que o atormentará pelos demais dias de sua chifruda vida.
Mas alguém aí já parou para pensar porque o traído é chamado de chifrudo? E porque só a mulher coloca chifres no marido, mas o marido quando mantém uma filial, dizem que ele “trai a esposa” e não “chifra a esposa”?.

Minha avó (de novo ela - deve estar pensando em mim. Vou acender uma vela) dizia que era uma alusão ao Demônio, o chifrudo mor. Mas se assim fosse, todo chifrudo também seria rabudo, o que não é o caso. Tia Lucila dizia que era uma alusão ao boi (daí o porquê da traidora ser chamada comumente de “vaca”), já que sua fêmea mantém relacionamentos carnais com diversos machos do rebanho.

Mas pesquisei (chifrudo pesquisando sobre chifre) e descobri a origem correta da expressão “colocar chifre”. Tem origem legal (no sentido de Lei), pois advém do antigo Código Filipino de 1603 que determinava que todo o marido traído matasse o “sócio” de sua adúltera mulher (desde que o adúltero não fosse um nobre) ou, caso recusasse a fazê-lo, seria obrigado a usar em público um chapéu ornado com dois enormes chifres, para que todos soubessem que o traído não honrou sua condição e prerrogativa de homem.

Se tal prática fosse adotada por estas bandas, iria ser uma tragédia. Imaginem uma fila de banco com um monte de chifrudos entrelaçando as galhas. E no elevador? No cinema, ninguém mais assistiria nada e seria impossível andar em ônibus lotado.

Mas vamos deixar o chifre de lado (como se possível fosse) e vamos voltar ao tema desviado.
Ontem, no supermercado, notei que duas jovens, pouco mais do que adolescentes, olhavam-me e cochichavam com insistência. Dava a impressão de que uma tinha uma opinião ao meu respeito com a qual a outra discordava. Rapidamente, chequei se não estava com a bunda molhada, com a braguilha aberta ou um cartaz sorrateiramente pregado em minhas costas. Nada. Até que criaram coragem e se aproximaram, titubeantes:

_ Com licença, o Senhor não é o Arthur? – fazendo olhar de pesquisa e interrogação.
Rapidamente o meu célebro começou a buscar informações de onde eu conheceria aquelas duas, ou uma delas sequer. Embora belas, eram muito jovens para que tivéssemos tido um encontro fortuito. Seriam filhas de algum desafeto? De algum credor ? Cabeça de velho é uma merda, não funciona direito mesmo. Só serve para carregar chapéu e chifre (não vamos voltar a este assunto ...).

-Sim ... – balbuciei, preparando-me para uma reação raivosa das interlocutoras.

-Eu sabia – sorriu triunfante uma delas – logo o reconheci! Lemos sempre suas crônicas. Daria para o nos dar um autógrafo?

Era minha primeira vez. Uma emoção indescritível. Pela primeira vez alguém pedia meu autógrafo em algo que não fosse uma intimação ou aviso de cobrança. Paguei minhas compras sorridente, embora o preço no caixa não fosse o mesmo que estava na etiqueta da gôndola. Nem liguei com a falta de troco. Meu carro tinha sido riscado no estacionamento, coisas que acontecem. Alguém estacionou defronte a entrada de minha garagem, não faz mal, estaciono do outro lado da rua. Minha mulher não estava em casa, foi ao cabeleireiro pela terceira vez somente nesta semana. Êpa, outra vez não. Fui atrás.




Escrito por: Arthur Teixeira Junior 14/01/2014 às 11h00.

Presidente da AMPAR convida para seminário nesta quinta-feira em Teresina

14/01/2014 - 02h53min
ampliar Presidente da AMPAR convida para seminário nesta quinta-feira em Teresina Presidente da AMPAR convida para seminário nesta quinta-feira em Teresina

O prefeito municipal da cidade de Agricolândia Walter Alencar, presidente da AMPAR tem  honra de convidar a todos para participar de Seminário de Sensibilização para Formação de Consórcios Públicos Intermunicipais CONACI-BR que acontece no dia 16 de janeiro no auditório da FIEPI às 08:30hs na cidade de Teresina. 


O evento contara com a presença do presidente do CONACI-BR e do Vice-prefeito de São Luiz - MA e vários prefeitos do estado do Piauí. 


 


Por Mauricio Alves

Nova Unidade Básica de Saúde de Agricolândia está sendo construída a todo vapor

13/01/2014 - 02h39min
ampliar Nova Unidade Básica de Saúde de Agricolândia está sendo construída a todo vapor Nova Unidade Básica de Saúde de Agricolândia está sendo construída a todo vapor

A Prefeitura Municipal de Agricolândia iniciou as obras da Unidade Básica de Saúde(UBS), está sendo construída na rua Raimundo Ferreira Nunes, a obra é da ordem de R$ 405.846,05 mil reais, uma parceria entre Governo Federal, Ministério da Saúde e Prefeitura Municipal de Agricolândia com recursos do PAC 2, a obra está prevista para ser entregue em março deste ano.


As obras estão a todo vapor , e será entregue no prazo determinado, sem atrasos . A UBS será intitulada Unidade Básica de Saúde Mãe Dita, e será construída pela Construtora Carvalho e Silva.


 


Por Mauricio Alves

Estudantes Agricolandenses a inscrições para bolsas do Prouni serão abertas hoje

13/01/2014 - 02h26min
ampliar Estudantes Agricolandenses a inscrições para bolsas do Prouni serão abertas hoje Estudantes Agricolandenses a inscrições para bolsas do Prouni serão abertas hoje

Começam na próxima seguda-feira (13) as inscrições para a primeira edição de 2014 do Programa Universidade para Todos (ProUni) pela internet. Segundo o Ministério da Educação, o sistema estará aberto desde o início da manhã, mas não definiu horário. O prazo vai até as 23h59 da sexta-feira (17). A primeira chamada dos estudantes pré-selecionados será divulgada no dia 20 de janeiro no site do programa, que vai publicar a segunda chamada no dia 3 de fevereiro.


O ProUni é destinado a alunos que querem concorrer a bolsas de estudo, integrais ou parciais, em instituições particulares de educação superior. As bolsas integrais são para os estudantes com renda bruta familiar, por pessoa, até um salário mínimo e meio. As bolsas parciais são destinadas aos candidatos com renda bruta familiar até três salários mínimos por pessoa. O bolsista parcial poderá utilizar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para custear o restante da mensalidade.


Pode participar da seleção o estudante que tenha feito a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2013 e obtido no mínimo 450 pontos na média das notas. O candidato não pode ter tirado 0 na redação e precisa ter cursado o ensino médio na rede pública ou com bolsa integral na rede privada.


Este ano, há mudança quanto aos procedimentos da lista de espera. Agora, o estudante que não for pré-selecionado nas duas chamadas regulares e quiser participar da lista terá de manifestar interesse pela internet e, em seguida, nas datas previstas em edital, comparecer à instituição de ensino na qual pretende estudar com os documentos necessários.


Após esse processo, a instituição terá prazo para avaliar a documentação. O estudante selecionado receberá o resultado por meio do boletim do candidato, disponível online na página do ProUni. Nas edições anteriores, o candidato tinha de manifestar interesse na lista de espera e aguardar a convocação da instituição.


 


Por Maurício Alves

Já começou a etapa da campanha contra febre aftosa em todo o Piauí

13/01/2014 - 02h24min
ampliar Já começou a etapa da campanha contra febre aftosa em todo o Piauí Já começou a etapa da campanha contra febre aftosa em todo o Piauí

A primeira etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa de 2014 foi lançada na manhã desta quarta-feira (8), na Fazenda Padre Cícero, localizada no Km 15 da PI 130.


Segundo José Antônio,  a meta é vacinar mais de um milhão de cabeças de gado nas mais de 75 mil propriedades de todo o Estado. Até maio deste ano, o diretor afirma que o Piauí receberá certificação internacional de área livre da doença, o que proporcionará para o criador a exportação de seu rebanho para outros países, com a certificação de uma carne segura para o consumo. “A vacina é a segurança de não termos a doença no nosso gado e este fator nos traz inúmeros benefícios, principalmente em relação à venda do gado”, pontua o diretor.


O prazo para o criador comprar a vacina vai até o dia 31 deste mês, e até o dia 15 de fevereiro o proprietário deve certificar a vacina em seu rebanho em um dos 200 escritórios da Adapi espalhados por todo o território piauiense. A próxima etapa de vacinação contra febre aftosa está prevista para julho de 2014.


 


Por Mauricio Alves

Conquistando o Mundo

10/01/2014 - 20h41min
ampliar Conquistando o Mundo Conquistando o Mundo

MISSÃO CALEBE: CONQUISTANDO O MUNDO


Os jovens da Igreja Adventista do 7º Dia (IASD) de todos os países da América d Sul, se dedicam, no período de suas férias, a um programa religioso social intitulado Missão Calebe. Durante esse período de férias os jovens se dedicam inteiramente a realização dessa programação, que nesse ano em especial tem o seguinte tema: “Missão Calebe: Conquistando o Mundo”. Neste ano de 2014 os jovens da IASD de Agricolândia-PI se uniram aos demais jovens da América do Sul na realização deste evento, que tem como objetivo “Salvar do pecado e guiar no serviço”.


O evento iniciou no dia 04 de janeiro e contou com a presença da vereadora Edith e do site Agricolândianews e o mesmo acontecerá  todas as noites até o dia 26, durante todas as noites haverá sorteio de cestas básicas, e vários outros brindes surpresas; haverá também o estudo da Bíblia, a Palavra de Deus, que é o principal objetivo do evento, cumprindo assim as palavras do Mestre Jesus:” Ide, portanto, a todo mundo fazei discípulos de todas as nações...”  (Mateus 28:19)

MAIS FOTOS (Clique na foto para ampliar):

O Fim Está Próximo

09/01/2014 - 12h24min
ampliar O Fim Está Próximo O Fim Está Próximo



O Fim está próximo!

Estou chegando ao final da linha. Meu coração não está aguentando mais “tantas emoções”. Somente em 2013, deu três paradas. Quando o coração pára, não dá aquela dor que aparece nos filmes ou novelas. Pelo contrário. Você desfalece, em serena prostração. Mas, quando isto acontece em um ambiente hospitalar, o que dói mesmo é o choque que eles te dão para acordar o coração. Você dá um salto de bunda, reabre lentamente os olhos baixos, com cara de abobalhado, babando, encara todos aqueles que estão à sua volta, inclusive aquele com os dois ferros de passar roupa na mão, não consegue falar nada, mesmo porque geralmente está entubado. Balbucia, mas todos festejam alegres o feito. Se você pudesse falar, certamente diria: “porque não vão dar um choque na mãe?” e “tira logo esta mangueira de minha boca e enfia no seu...”. Aconselho a todos terem suas paradinhas cardíacas no sítio da família, bem longe de um hospital ou do SAMU.

Alguns fatores indicam que perderam as esperanças comigo: no resultado de meu último eletrocardiograma, veio grampeado, no cantinho esquerdo, um cartãozinho da Funerária Pax União. Quando chego ao consultório da clínica cardiológica, os atendentes param imediatamente de conversar e cochicham movimentando os olhos em minha direção, como estivessem fisgando um peixe. O médico anotou o nome e todos os telefones de meus familiares em meu prontuário. Não tenho horário vago para tomar mais nenhum remédio.

Fico pensando: e depois, o que vai acontecer? Todos sabem que esta hora um dia vai chegar, mas sempre dá um friozinho na barriga. Lembro-me quando pulei de paraquedas pela primeira vez. Quando estava na porta do avião (eles chamam de aeronave), olhei para baixo e perguntei-me: “que diabos estou fazendo aqui?”. Mas saltei, convencido por um poderoso chute na bunda, dado pelo meu instrutor.

Alguém lá de cima (ou lá de baixo), vai me dar o chute decisivo. E prá onde eu vou? No céu, deve ser um saco. Tudo certinho, arrumadinho, organizado. E, além de tudo, dizem que os anjos não tem sexo! Tô fora. Mas no inferno, vou encontrar certamente minha sogra, em cuja cova urino todos os sábados antes de ir ao mercado, além de um monte de sujeitos de terno e gravata, com pastinha executiva na mão, querendo defender-me perante o Demo, prometendo vantagens inimagináveis.

De qualquer modo, terá seu lado bom. Não pagarei mais imposto de renda, IPVA, IPTU, ICMS, enfim, deixarei de ser assaltado. Ah, assaltado em todos os sentidos, pois onde moro até o padre anda armado. E, o que é melhor: aquela vagabunda de minha exmulher, vai finalmente ter que trabalhar, depois de viver oito anos à custa da pensão alimentícia que é descontada diretamente de meu contracheque.

Certamente, comparecerei ao meu velório. Assim como não poderá faltar o bêbado, o contador de anedotas e a desconhecida mulher chorosa com uma criança nos braços. O evento, que já está acertado, dar-se-á (adoro esta construção: chama-se mesóclises) no boteco do Domingão do Frango. Já deixei duas caixas de cerveja e dois litros de amargosa pagos. Os “comes” serão oferta dos vizinhos. Pouco haverá a velar, pois doei órgãos e tecidos a quem precisar. Família e conhecidos estão cientes. Duas partes não serão doadas: uma, minha mulher falou que não vai doar nem sob tortura, e, meu fígado, não servirá nem para sarapatel.

Débora falou que eu não teria enterro, pois não haveria ninguém para carregar meu caixão. Ledo engano. Só os credores, farão uma multidão. Irão certificar-se de meu óbito, conduzindo-me a ultima morada, sussurrando: “Você me levou, mas eu também estou te levando para o buraco...”.

Enfim, meu ultimo dia não deverá tornar-se feriado, nem lá em casa. Muitos irão sentirem-se até felizes, aliviados. Mas, estejam certos: vamos nos encontrar para onde eu for.

Fonte/Arthur Teixeira Junior - 09/01/2014 às 9:14hs

EnqueteVocê acredita que o prefeito Walter Alencar está apoiando os desmandos de seus secretariado?

Auditado por Google Analytics